domingo, 23 de janeiro de 2011

Conto Judaico

FÁBULA DA VERDADE

"Um dia, a Verdade andava a visitar os homens sem roupas e sem adornos, tão nua como o seu nome. E todos que a viam viravam-lhe as costas de vergonha ou de medo e ninguém lhe dava as boas vindas.
Assim, a Verdade percorria os confins da Terra, rejeitada e desprezada.

Uma tarde, muito desconsolada e triste, encontrou a Parábola, que passeava alegremente, num traje belo e muito colorido.
- Verdade, por que estás tão abatida? - perguntou a Parábola.
- Porque devo ser muito feia já que os homens me evitam tanto!
- Que disparate! - riu a Parábola - não é por isso que os homens te evitam. Toma, veste algumas das minhas roupas e vê o que acontece.

Então a Verdade pôs algumas das lindas vestes da Parábola e, de repente, por toda à parte onde passa era bem-vinda.
- Pois os homens não gostam de encarar a Verdade nua; eles preferem-na disfarçada."
Porque preferimos sempre uma verdade disfarçada?
Será que temos medo da verdade nua?
Medo do confronto directo?
Teremos medo de enfrentar a verdade, tal como ela é?
Andamos também nós disfarçados para sermos vistos de uma outra forma?
Uma verdade disfarçada é vista com outros olhos e disso não temos dúvidas...

3 comentários:

  1. A verdade nua e crua é sempre dificil de encarar... o ser humano tem tendência a esconder-se debaixo de outras vestes...

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  2. Está muito interessante, esta parábola! Olha, mudei o meu blogue para: http://catarina-randomthoughts.blogspot.com/
    Bjinhos

    ResponderEliminar
  3. Minha querida,
    Por mais dura que seja eu prefiro sempre a verdade nua e crua, verdades disfarçadas, mentiras piedosas, nem pensar, depois dói muito mais.
    Infelizmente há quem prefira essas verdades que no fundo são mentiras e vivem uma vida debaixo desses disfarces.
    Eu nego-me a disfarçar o quer que seja, a verdade sempre!

    Beijinhos

    ResponderEliminar